Barreiro News

Hospital Santa Rita está sem vaga nos leitos de COVID-19

A unidade médica, que fica em Contagem, é a maior do sistema privado próxima ao Barreiro e está pressionada com aumento no número de casos da doença.

Google Maps

Por Fabiano Frade
Siga no Instagram: @barreironewsuai
Twitter: @barreironewsuai
Facebook: facebook.com/barreironews

O secretário de saúde da capital, Jackson Machado Pinto, disse em entrevista coletiva na tarde dessa quarta-feira (25), que o perfil da, já chamada, segunda onda está mais nas classes A e B, e por isso os hospitais particulares já apresentam aumento significativo de atendimento. Ao que parece, não é só uma suposição e ele realmente está amparado em números. O Hospital Madre Teresa, na região centro-sul, informou que, devido a ocupação de leitos no setor de Covid-19, a Unidade de Atendimento dos pacientes com sintomas gripais ou suspeitos da doença no Pronto Atendimento está suspensa até a próxima segunda-feira, 30 de novembro de 2020.

Na região do Barreiro, o hospital de grande porte particular mais próximo fica no bairro Jardim Industrial em Contagem, que por estar no limite com Belo Horizonte, recebe muitos pacientes da capital. Procurado por nossa reportagem, o Hospital não quis divulgar e comentar os números. Ao ser questionado, por meio da assessoria, se está recebendo pacientes com COVID-19, informou que a diretoria tem orientado aos veículos midiáticos a checarem essa informação na Secretaria de Saúde.

Antes, porém, fizemos o contato com o próprio atendimento do hospital. Por telefone uma funcionária informou que o Santa Rita está recebendo os pacientes no Pronto Atendimento, mas na unidade não é feito exame de testagem da doença. Na breve explicação, a atendente disse ainda que não há vaga nos leitos de tratamento e que se caso tenha necessidade o próprio hospital faz a transferência.

Se na rede particular, ao menos no Madre Tereza e no Santa Rita, os leitos estão em totalidade, os hospitais públicos da região caminham para chegar nessa condição. O Hospital Eduardo de Menezes está com 66%, do total de 30 leitos de CTI preenchidos. Já os de enfermaria já 85% do total de 49.

O hospital Júlia Kubitschek está com 20 dos 40 leitos ocupados. Na enfermaria o número de ocupação é de 77% do total de 66 leitos. Os dados são da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig).

Não foi possível pegar o recorte dos leitos do Hospital Metropolitano Célio de Castro, também localizado na região do Barreiro, pois a contagem do município é feita no âmbito geral e não por um recorte. Esta unidade, bem como os hospitais Eduardo de Menezes e Júlia Kubitschek, recebem pacientes encaminhados pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.